quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Cidade difícil

.
Não tem nem o que falar, que cidade feia, desorganizada. É difícil encontrar algo meramente fotografável aqui. Somente muita pobreza, casas feias, ruas feias. É possível que passando mais tempo aqui, andando mais pela zona rural, eu encontrasse algo, mas aqui no centro não dá. Uma cidade desagradável, imho. Caruaru, claro, onde estou. De qualquer modo, tirando leite de pedra, foto no final do dia, mais ou menos.
.

terça-feira, 30 de agosto de 2011

Uma bicicleta tricolor, no mínimo

.
Uma bicicleta toda toda, pelo menos três cores, uma cestinha acoplada inventada ao bagageiro, só tem o freio traseiro e a sela está danificada.
.

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

As Vermelhinhas

.
Em Caruaru, o que eu estou vendo, eu, eu, eu, é uma cidade caótica, desorganizada, feia, suja, pobre. Mas de qualquer modo, você sempre pode contar com as farmácias Diariamente, As Vermelhinhas.
.

domingo, 28 de agosto de 2011

O batizado de Eliane no Pedal Clube

Hoje fizemos um passeio especial no Pedal Clube: foi o batizado de Eliane, pois a primeira vez em que ela acompanhou todo um passeio de domingo do grupo. Há algum tempo atrás, já havíamos saído com o grupo, mas devido à velocidade do Pedal, eu e Eliane desgarramos e fizemos nosso próprio passeio. Dessa vez, como ela está super-over-preparada, ela acompanhou todo o trajeto. O super-over-preparada é brincadeira, ela é dente-de-leite, como ela mesma diz. Mas já está graduada agora que entrou no Pedal Clube. E ao final da pedalada de 50km, ela cantou em uníssono o hino do Pedal Clube, junto com Odilon, Jacques, Humberto e outros, hino este que também é o hino da Igreja Ingericana do Brasil, e finalizou com uma talagada de cachaça Serrote, da melhor qualidade. Abaixo as fotos do passeio, que seguiu por Dois Irmãos, Camaragibe, Brennand, Várzea, Cidade Universitáriae entre outros locais.
.
 Passando em Casa Forte.

 Passando por Camaragibe.


 Entrando na Propriedade Cosme e Damião - Oficina Cerâmica Brennand.

 Em Brennand.



 Adorei essa foto, tem foco apenas em parte do centro e representa bem o movimento.


 Minha bicicleta e o símbolo das obras de Francisco Brennand.



 Saindo da Oficina Cerâmica.







 Odilon, Humberto e Teo na Praça da Várzea.

 E agora com Bigode na Praça da Várzea.

 Odilon e Eliane na praça.



 Gomes atravessando a ponte de pedestres e ciclistas que liga os bairros de Torre e Santana.

 A melancia e o abacaxi, ao final da pedalada, para acompanhar o brinde com cachaça Serrote.
 Abaixo, o trajeto do pedal no gps.

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Desaparecidos

.
Rapaz, como desaparece gente nessa cidade. Todo poste e todo fiteiro tem um cartaz de gente desaparecida. É arquivo X. Já que tem gente se perdendo - para sempre talvez - que tal o poema de Elizabeth Bishop, a seguir.
.
One Art

The art of losing isn't hard to master;
so many things seem filled with the intent
to be lost that their loss is no disaster.

Lose something every day. Accept the fluster
of lost door keys, the hour badly spent.
The art of losing isn't hard to master.

Then practice losing farther, losing faster:
places, and names, and where it was you meant
to travel. None of these will bring disaster.

I lost my mother's watch. And look! my last, or
next-to-last, of three loved houses went.
The art of losing isn't hard to master.

I lost two cities, lovely ones. And, vaster,
some realms I owned, two rivers, a continent.
I miss them, but it wasn't a disaster.

- Even losing you (the joking voice, a gesture
I love) I shan't have lied. It's evident
the art of losing's not too hard to master
though it may look like (Write it!) like disaster.

terça-feira, 23 de agosto de 2011

domingo, 21 de agosto de 2011

Pedal de domingo 60km

.
Pedalada de domingo, com Flávio Guerra e Eliane, saindo de Boa Viagem até a praia de Enseada dos Corais, ida e volta, 60km no total. Seguem algumas fotos.
.
 Saímos daqui, tanques de guerra em plena avenida Boa Viagem, é que ia começar a Corrida Duque de Caxias.

 Flávio e Eliane na saída para a pedalada (sem tolerância de esperar seu ninguém).

 Eliane subindo a ponte estaiada que atravessa o rio Jaboatão.

 Parada para uma água e olhar a paisagem.

 Eliane se esconde atrás de uma garrafinha de água.



 Seguindo pela ciclovia da praia do Paiva.

 Chegou na praia, dia meio nublado, meio sol, praia de Itapuama.


 Já na volta de Enseada dos Corais, parada no mirante.




 Sombras, sol forte.


 Parada para reabastecer com água de coco a R$ 1,00.

Bicicleta de carga Zummi.

Já de volta à praia de Boa Viagem. Estava cheia de gente, hoje.